crítica literária

A máquina Pinochet e outros ensaios

R$14,90

A Máquina Pinochet e outros ensaios é um coletânea de textos críticos da escritora chilena Diamela Eltit, uma das grandes vozes do feminismo latino-americano. Durante a ditadura chilena, Eltit foi uma das criadoras do coletivo CADA (Colectivo de Acciones de Arte), responsável por utilizar a cidade como cenário de uma arte engajada e inovadora. Autora de romances importantes como “Lumpérica”, Eltit é também uma ensaísta delicada e poderosa, atenta a situações em que o corpo é o próprio palco da política. Os ensaios reunidos neste livro, traduzidos por Pedro Meira Monteiro, organizados e prefaciados por Meira Monteiro e por seu colega em Princeton, Javier Guerrero, trazem a voz única de Eltit para o público brasileiro, no momento em que é também lançado o seu primeiro romance em português.

Ana Cristina Cesar

R$19,90

Ana Cristina Cesar O sangue de uma poeta é o retrato de uma geração e de seu anjo azul. É impossível pensar em Ana Cristina sem mergulhar na geração dos anos 1970. Analisar sua obra é analisar sua vida, já que a poeta viveu a radicalidade da fusão arte-vida. Guiado pela memória, Italo Moriconi escreve a primeira biografia de Ana Cristina Cesar, que é também um painel daquela geração e de suas ideias em relação às quais Ana teve protagonismo.Um perfil no horizonte da crítica literária, uma biografia intelectual. Nada de fofocas sobre a vida trágica da escritora que se suicidou em 1983, aos 32 anos.Uma poeta de grande originalidade ou uma promessa que não se concretizou? Uma espécie de aristocrata convivendo com poetas marginas. “Uma poeta-que-pensa. Uma poeta-crítica. Não apenas mais uma fazedora de versos.” Musa e mito da geração dos “filhos da PUC”, Ana C. mantinha um certo pudor em um tempo em que todos partiram para o desbunde.Neste livro aparecem: a poeta precoce que ditava seus versos à mãe quando ainda não sabia escrever; a vida na Inglaterra; as vivências da luta contra a ditadura; os tempos do Opinião e do Beijo; o método de composição de Ana; o conflito com a estrutura masculina da liderança intelectual; a intensidade produtiva e reflexiva que marcou toda a sua vida.Italo Moriconi é professor de literatura na UERJ e poeta.

Escrita não criativa e autoria

R$11,90

Os artigos reunidos neste livro tematizam questões que discutem a condição da autoria no presente considerando os procedimentos da escrita não-criativa e a possibilidade de pensar o autor como um curador. O ponto de partida de muitos ensaios são as premissas defendidas por Kenneth Goldsmith, professor da universidade da Pensilvânia, que ministrou durante alguns semestres um curso que ele mesmo chamou de “Escrita não-criativa” e que consistia em estimular seus alunos a investigarem técnicas de apropriação de obras alheias, defendendo a ideia de que os “escritores estão se tornando curadores da linguagem e fazendo um movimento similar à emergência do curador como artista nas artes virtuais”.

Esse Aires

R$19,90

Este volume do selo Peixe-elétrico Ensaios é todo dedicado ao romance Memorial de Aires, de Machado de Assis. São ao todo sete ensaios, mais o posfácio assinado por Hélio de Seixas Guimarães, fruto de um encontro de críticos e pesquisadores reunidos em Lisboa, no ano de 2017. 1. Abel Barros Baptista e Clara Rowland – I can not, etc. 2. Humberto Brito – A expressão sem nome 3. Joana Matos Frias – Das negativas: preterição e ventriloquacidade no estilo-Aires 4. Amândio Reis – Viver é um ofício cansativo: biografia, escrita e apagamento em Memorial de Aires 5. Ariadne Nunes – Pare no D 6. Luciana Schoeps – O autor defunto Aires e as rasuras do manuscrito de Esaú e Jacob: postura enunciativa, narrador e imagem autoral 7. Pedro Meira Monteiro – Minados pelo tempo: sujeito e vontade no Memorial de Aires Posfácio: Sobre restos, rasuras, elipses et cetera (Hélio de Seixas Guimarães)

Explorando os entremeios

R$39,90
Cultura & comunicação na literatura de João Guimarães Rosa.

O presente volume interdisciplinar reúne 13 contribuições de autores brasileiros e europeus das áreas da filologia, estudos culturais e comunicação que versam sobre os paradigmas da comunicação e da intersubjetividade na obra narrativa de João Guimarães Rosa. Aproximando-se dos meandros literários de Rosa, responsáveis pela íntima concepção internacionalizante de Brasil na sua obra, o volume enfoca dinâmicas que perpassam extensões linguísticas, ontológicas e culturais da literatura rosiana. Na radicalidade da criação literária de Rosa refletem-se a transgressão linguística e o diálogo entre poética negativa e antropologia. Um fenômeno central que nos preocupa é sua exploração dos entre-espaços, dos limiares – que achamos por bem sintetizar na noção do entremeio. Desse modo, Rosa engendra uma dialética da comunicabilidade do incomunicável, buscando assim criar uma forma de acesso ao inacessível através de seu imaginário linguístico e compreensão da comunicação numa acepção ritualística. Tenciona-se destacar a importância da obra de Rosa como precursora das rupturas epistemológicas no logos ocidental pós-moderno, antecipando formas de pensar a subjetividade e a alteridade que só se sistematizariam mais tarde na filosofia, nos estudos pós-coloniais, estudos de gênero e fenomenologia do estranho.

Mário Peixoto antes e depois de Limite

R$19,90

O encanto me despertou para Limite (1931), encanto sempre mantido. Faço um recorte da vida de Mário Peixoto (1908-1992) a partir de sua homossexualidade, muitas vezes dita, mas pouco estudada. Trata-se de uma pesquisa em realização que teve como ponto de partida, em grande parte, material inédito como cartas, os Cadernos Verdes (diário da infância a 1935), Diário da Inglaterra (1927) e depoimentos de mais de setenta pessoas, entre amigos, parentes e contemporâneos de Mário Peixoto. Todo esse material inédito está no Arquivo Mário Peixoto, sendo que os diários só foram recentemente disponibilizados em formato digital.

A proposta seria apenas contribuir para minimizar uma lacuna em nossa bibliografia de uma leitura gay da vida de artistas brasileiros, e dos modernistas, em particular? Seria possível atualizar o passado a partir de um olhar queer não apenas por meio de uma história de representações de LGBTTQIA+ e de dissidências sexuais, mas de sensações? Seria uma experiência…

O sensível e a abstração

R$19,90

Três ensaios sobre o Moisés de Freud

Em O sensível e a abstração: três ensaios sobre o Moisés de Freud, Alessandra Affortunati Martins parte de um problema alocado na parte III do ensaio O homem Moisés e a religião monoteísta (1939), no qual Freud estabelece uma distinção entre matriarcado e patriarcado para, a partir de um debate atual, responder aos impasses existentes na versão freudiana. A obra, então, divide-se em três ensaios, cujo eixo central é a figura mosaica com as feições estabelecidas por Freud. Em cada um deles, o mesmo problema é…

Peixe-elétrico #09

R$19,90

O grande engodo – Marcos Nobre

O cientista político pensa a chegada da extrema-direita no mundo e no Brasil, os impasses das ciências humanas para entender a realidade atual, o esvaziamento da ideia de futuro e o papel das lutas identitárias em cenário de esgotamento democrático.

 

Olhar como construção – Agnaldo Farias e Tuca Vieira

O crítico e professor da FAU analisa o ensaio fotográfico Dead End, de Tuca Vieira, que ilustra esta edição da revista. Gentrificação e arquitetura são os termos principais do jogo do olhar entre o dado e o construído.

 

Cágado – Ana Paula Pacheco

Entra em cena o nonsense nessa comédia ligeira como tentativa de dar conta do momento Bolsonaro do país.

 

Freud como grão-burguês e o patriarcado na psicanálise – Alessandra Martins Parente

A psicanalista se debruça sobre o “Moisés” de Freud seguindo os passos de Walter Benjamin e Willy Haas em “De cidadão do mundo a grão-burguês”.

 

Ensaio sobre a origem das línguas –Jean-Jacques Rousseau

Nova tradução e na íntegra do ensaio clássico.

 

Dossiê Literatura – Adriano Schwartz

Organizado pelo professor de literatura contemporânea da USP, nove ensaios de jovens críticos tratam de diversas faces e questões da produção literária do pós-Segunda Guerra até hoje, no Brasil e no mundo. São eles: Athos Morais Valverde Júnior, Ellen Maria Vasconcellos, Henrique Balbi, Isabela Cordeiro Lopes, Mell Brites, Natalia Timerman, Paulo Avelino, Rafael Vaz de Souza e Wilker Sousa. Estudam, respectivamente: Ricardo Lísias, Ben Lerner, Tiago Ferro, Alejandro Zambra, Art Spiegelman, Karl Ove Knausgård,Juan José Saer,Ricardo Piglia e Georges Perec.

Poesia e poética de Carlos Drummond de Andrade

R$14,90

Estudo clássico de John Gledson sobre a obra de Carlos Drummond de Andrade é relançado pelo selo Peixe-elétrico Ensaios exclusivamente em formato digital. Edição revista e com prefácio inédito assinado por Vagner Camilo.

Self cultural

R$14,90

Em fragmentos de sua própria experiência na clínica, onde tudo tem início e fim em psicanálise, Ab’Sáber nos apresenta um mergulho profundo e desafiador na trama simbólica e concreta do mundo na determinação das formas de sofrimento psíquico atuais.

O título faz parte do selo Peixe-elétrico Ensaios, que apresenta ao leitor de língua portuguesa um conjunto de intervenções críticas em formato e-book. Ensaios clássicos ao lado de textos contemporâneos para serem baixados no mundo todo e por preço acessível.

Com a mesma independência e disposição contra-ideológica da revista Peixe-elétrico, os ensaios aqui publicados pretendem estimular o debate crítico no país e responder às novas configurações do mercado editorial tradicional, afirmando o digital como espaço privilegiado para esse tipo de obra.

Principais áreas: crítica literária, psicologia, filosofia, história da cultura e sociologia.

Próximos títulos: “Meios e fins”, de Ricardo Piglia; “Futuro abolido”, de Pedro Meira Monteiro.

Sobre Lima Barreto

R$14,90

Uma das principais especialistas na obra do homenageado da Flip 2017, Beatriz Resende lança pela e-galáxia coletânea com ensaios sobre Lima Barreto, incluindo uma análise da iconografia do autor.

Teoria e prática do arrivismo em contos maduros de Machado de Assis

R$19,90

Em Teoria e prática do arrivismo em contos maduros de Machado de Assis, o crítico e poeta Airton Paschoa oferece ao leitor uma bem detalhada e instigante teoria do arrivismo, para na segunda parte deste livro, demonstrar de que forma essa prática atravessa certas personagens napoleônicas de importantes contos de Machado de Assis.

Com linguagem acessível, serve aos interessados na obra de Machado e a todos aqueles que buscam compreender as formas de sociabilidade e limites de classe da sociedade brasileira.