Peixe-elétrico

O globo da morte de tudo - Nuno RamosConheça a Peixe-elétrico, a revista da e-galáxia.

O debate cultural proposto pela Peixe-elétrico é aquele capaz de provocar sustos, e até mesmo alguns choques, para tirar o debate da zona de conforto, para gerar novas reflexões. Só assim a cultura é capaz de sondar áreas obscuras da sociedade, conflitos que não enxergamos guiados pelo senso comum. Cultura, enfim, para a Peixe-elétrico, deve ser crítica e contra-ideológica. Iluminar, assustar, mover de lá para cá.

Baixe grátis a Peixe-elétrico #01.


Peixe-elétrico #09

R$19,90

O grande engodo – Marcos Nobre

O cientista político pensa a chegada da extrema-direita no mundo e no Brasil, os impasses das ciências humanas para entender a realidade atual, o esvaziamento da ideia de futuro e o papel das lutas identitárias em cenário de esgotamento democrático.

 

Olhar como construção – Agnaldo Farias e Tuca Vieira

O crítico e professor da FAU analisa o ensaio fotográfico Dead End, de Tuca Vieira, que ilustra esta edição da revista. Gentrificação e arquitetura são os termos principais do jogo do olhar entre o dado e o construído.

 

Cágado – Ana Paula Pacheco

Entra em cena o nonsense nessa comédia ligeira como tentativa de dar conta do momento Bolsonaro do país.

 

Freud como grão-burguês e o patriarcado na psicanálise – Alessandra Martins Parente

A psicanalista se debruça sobre o “Moisés” de Freud seguindo os passos de Walter Benjamin e Willy Haas em “De cidadão do mundo a grão-burguês”.

 

Ensaio sobre a origem das línguas –Jean-Jacques Rousseau

Nova tradução e na íntegra do ensaio clássico.

 

Dossiê Literatura – Adriano Schwartz

Organizado pelo professor de literatura contemporânea da USP, nove ensaios de jovens críticos tratam de diversas faces e questões da produção literária do pós-Segunda Guerra até hoje, no Brasil e no mundo. São eles: Athos Morais Valverde Júnior, Ellen Maria Vasconcellos, Henrique Balbi, Isabela Cordeiro Lopes, Mell Brites, Natalia Timerman, Paulo Avelino, Rafael Vaz de Souza e Wilker Sousa. Estudam, respectivamente: Ricardo Lísias, Ben Lerner, Tiago Ferro, Alejandro Zambra, Art Spiegelman, Karl Ove Knausgård,Juan José Saer,Ricardo Piglia e Georges Perec.

Peixe-elétrico #08

R$14,90

Leia nesta edição:

Marxismo e Guerra
Étienne Balibar

Fascismo comum, sonho e história
Tales Ab’Sáber

Cartas
De Gilles Deleuze para Félix Guattari

Que horas são?
Zuca Sardan e Francisco Alvim

Nós não vamos pagar nada
Pedro Meira Monteiro

Deslocamentos e instabilidades na ficção de Luiz Alfredo Garcia-Roza
Adriano Schwartz

Canções pela vida toda
Ronald Polito

Tentação – Uma leitura do conto de Clarice Lispector
Fabiane Secches

Rubem Fonseca e o caso do testemunho ficcional
Lara Norgaard

A obra como vontade: uma experiência de escritura com Roland Barthes
Socorro Acioli

Chernóbyl – 30 anos e 1 dia depois (fotos)
Bianca Vasconcellos

Rap da República de Pindorama na Alemanha
Renata Martins

Peixe-elétrico #07

R$14,90

Nesta edição:

Loser – NUNO RAMOS
Ensaio baseado em palestra proferida em Berkley nos Estados Unidos, o artista plástico paulistano pensa sua obra a partir das diferenças entre se produzir cultura em regiões hegemônicas e não hegemônicas.

Direita e esquerda na literatura – ALFONSO BERARDINELLI
Um dos mais destacados críticos de nossos tempos, Berardinelli avalia o local da literatura e da modernidade a partir daqueles que considera autores-chave…

Peixe-elétrico Bob Dylan: Edição especial

R$14,90

Em sua primeira edição especial, a revista Peixe-elétrico selecionou ensaios que discutem sob diversos ângulos o campo cultural a partir da obra do Prêmio Nobel de Literatura de 2016, Bob Dylan.

O britânico PERRY ANDERSON analisa em ensaio polêmico as origens e os limites das revoluções embaladas pelo rock and roll. Sem abrir mão do rigor marxista, Anderson explica porque Rolling Stones, sim e Beatles, não; Beach Boys, sim e Bob Dylan, não.

O crítico literário ALCIR PÉCORA resenha o livro de memórias de Dylan, Crônicas, e encontra uma nobre linhagem para o autor.

Também da área da crítica literária, Walnice Nogueira Galvão apresenta os motivos pelos quais a premiação de Dylan para o Nobel de Literatura não faz nenhum sentido. Os conflitos entre cultura engajada e cultura pop atravessam todo o ensaio.

RICARDO LÍSIAS, editor da Peixe-elétrico, resenha a única ficção de Bob Dylan, o livro Tarântula, que chega ao Brasil em nova tradução.

O escritor VICTOR HERINGER escreve sobre o momento em que soube da premiação, sua reação e posteriores reflexões a respeito de um ídolo pop receber o prêmio máximo da literatura mundial.

Uma série de fotos norte-americanas pertencentes à Biblioteca do Congresso ilustram esta edição.